Estadual dos cariocas

Pausa nas noticias tristes que vem do RJ para falar de algo menos importante: seu campeonato estadual.

Menos importante em virtude do momento atual de tristeza e devastação na região serrana do estado, mas também futebolisticamente falando, já que o “Cariocão” (divido em Taça Guanabara e Taça Rio, cujo campeão de cada uma disputa a grande final e , no caso do mesmo time vencer ambas, já leva o caneco) perdeu muito de seu prestigio nos últimos anos. Não entre os cariocas é claro, que ainda mantém o campeonato com uma média de público considerada boa em relação aos demais estaduais, mas no cenário nacional, em que mesmo os clubes grandes não conseguem manter uma regularidade de bom futebol nas demais competições. Obviamente neste momento lembraremos dos títulos nacionais de Flamengo e Fluminense, conquistado com méritos por boas equipes, e das boas campanhas do Botafogo nas edições recentes do Campeonato Brasileiro, no entanto, observando o retrospecto dos clubes do Rio nos últimos anos vemos que estes êxitos tem sido anômalos; os 4 grandes um ano brigam pelo título, noutro brigam contra o rebaixamento, noutro brigam por uma vaga na Sulamericana e não vem obtendo sucesso em competições como Libertadores e Copa do Brasil.

Boa parte da culpa por isso devesse ao quesito – tão comentado no cenário esportivo – da estrutura dos clubes, que estão consideravelmente atrasados em relação a outros clubes do sul-sudeste (parecem preocupar-se apenas recentemente em ter uma boa sede social, um CT adequado, um departamento médico bem servido de equipamentos e profissionais), mas também ao verdadeiro “samba do crioulo doido” que é a cartolagem de suas equipes. Muitas são tratadas como extensão da casa de seus presidentes, que alocam nas principais funções diretivas – em detrimento do mértio e capacidade de gestão – familiares, apadrinhados, colegas da escola, do truco de fim de semana, do futevôlei… enfim, acho que ficar tão perto das sedes da CBF e do STJD deve fazer mal…

Serão 16 equipes divididas em dois grupos nas duas fases da competição.

O Grupo A conta com Flamengo, Vasco, América, Boavista, Volta Redonda, Nova Iguaçu, Americano e Resende. Já o Grupo B é composto por Botafogo, Fluminense, Bangu, Olaria, Madureira, Cabofriense, Macaé e Duque de Caxias.

 

O palco é outro viu gente...

 

 

Vamos observar as principais equipes:

FLAMENGO: o time de maior torcida do Brasil deve ser a Sensação do campeonato… pelo menos no quesito marketing. Com a (suada) contração de Ronaldinho Gaúcho para reger a equipe em campo, o urubu conquistou todos os holofotes da mídia fora dele. Resta saber se o desempenho da equipe corresponderá as expectativas, já conta com um forte meio campo com Maldonado e Thiago Neves (outra boa contratação) e ainda espera muito do jovem Vander e do argentino Bottinelli, assim como um bom campeonato do agora capitão Léo Moura. Com a atual incógnita Vanderlei Luxembrugo no comando, podemos esperar uma boa campanha se os fatores externos (de novo!) não atrapalharem. Com as chuvas recentes, o Ninho do urubu já esta mais para “Piscina do Urubu”… vamos ver…

FLUMINENSE: O atual campeão Brasileiro vem forte para o estadual. Seguindo a receita de Muricy no últimos anos de manter o elenco que terminou a temporada passada, a equipe vem com poucas alterações (as maiores são a perda do aposentado Washington e a transferência de Wellington Silva, indo para o Levante da Espanha) e reforços importantes como Souza, jogador muito valorizado pelo treinador, e Diego Cavalieri, que deve enfrentar dura concorrência pela titularidade. Edinho, ex-Palmeiras, é uma aposta. Esperasse outro bom ano de Conca, meia argentino considerado o craque do último nacional, e um ano menos conturbado para os atacantes Fred e Emerson, clientes constantes do departamento médico das Laranjeiras. Felizmente o tricolor carioca é patrocinado por um plano de saúde.

BOTAFOGO: O tão tradicional clube da estrela solitária vem a campo garantir o bom retrospecto nas ultimas competições; atual campeão carioca, sempre disputando a grande final e garantindo uma boa série no Brasileirão nas edições recentes. Não conta com grandes reforços, desque para Arévalo Rios, uruguaio que estava no México e fez uma boa Copa do Mundo, mas ainda devemos esperar por sua adaptação. Everton, apoiador que também estava no México e Rodrigo Mancha são outros que chegaram a General Severiano. Devem sentir um pouco a saída de Guerreiro, mas parece que o treinador Joel Santana, que cuidou para manter a mesma linha do Fluminense e mudar pouco o elenco, já prepara seus jogadores para absorver a perda. Na frente, Herrera e o chamativo Sebástian “El Loco” Abreu devem dar conta do recado. É um time perigoso, certamente.

VASCO: o time dirigido por PC Gusmão vem aos trancos e barrancos. Dos grandes chega como azarão e a sete anos não conquista o título estadual. Sem grandes novidades este ano, aposta suas fichas no bom – mas instável – Carlos Alberto, que no ano anterior sofreu com uma sequência de contusões. Perdeu o também instável Zé Roberto, mas trouxe Misael, que fez bom Brasileirão pelo Ceará, e Eduarco Costa, que estava no Mônaco. Nada de sensacional. Se o time mantiver o futebol dos últimos anos, deve ficar longe do título. Mas quem sabe tenhamos uma boa surpresa para os Cruz-maltinos… a base pode ser importante neste momento…

Fora os grandes, acho que nenhum time deve chegar a fase decisiva… talvez o Duque de Caxias, Americano e Volta Redonda possam incomodar.

Mas um dos destaques no campeonato deste ano é a ausência de seu principal palco: O Maracanã. Em reforma para a Copa de 2014 (cujo projeto, polêmico, tratarei em outro post), o estádio por onde tantos craques já desfilaram – a passarela dos sonhos do futebol-arte – será o grande desfalque da competição. Sem o nostálgico charme do “Maraca”, os clássicos como o Fla-Flu não devem ser aquela fabulosa festa que se costuma vislumbrar.

Os grandes jogos devem ser disputados no Engenhão, bom estádio mas com problemas de acessibilidade. O que me preocupa mesmo é a sobrecarga: o gramado deve chegar ao fim da competição longe das melhores condições já que os clássicos e os jogos do Botafogo devem ser disputados lá. Problema que já ocorreu ano passado e fez com que o Fluminense jogasse partidas decisivas num campo que tinha mais areia do que grama. Felizmente os cariocas estão acostumados a jogar bola na areia…

Em todo caso, espero um bom campeonato, pelo menos na reta final, mais disputado. Talvez o Fluminense deixe alguns pontos escaparem pela ênfase dada a Libertadores, mas no geral, espero ver até o meio de fevereiro todas as equipes indo com tudo na para a disputa.

 

 

 

porYuriMoleiro

Anúncios

5 responses to “Estadual dos cariocas

  1. Pingback: Tweets that mention Futebol e memória -- Topsy.com·

  2. Yurão, mando bem! Bastante informação e eu ainda dei umas risadas! hahahahahhahaha
    ;D

    Tomei a liberdade de colocar no final que foi tu que escreveu.
    Abraço

    • eu falo mlandro…o vice da gama não chega nem na final…
      e memo jogano na praia de ipanema o fla leva essa! gaúúúú´cho neles

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s