Sub-20 e o problema da fome no Mundo

Agora mesmo acabou o jogo Brasil e Chile pelo Sul -Americano sub-20.  Já adiantando: ficou 5 a 1…pro Brasil.

Foram dois gols de Neymar, um de Lucas, um de Diego Maurício e outro de William José. Logo de cara uma surpresa, Neymar preparando pra bater falta ao lado do Oscar. Eu até tinha ouvido falar que ele andava treinado, mas visto ainda não. E não é que o rapaz meteu a bola no travessão e ela entrou? 1 x 0. Golaço! O Chile empatou logo depois da saída de bola, esfriando um pouco o jogo.Foram pro vestiário com o jogo empatado.

Mas, aos dois minutos e bobagem do segundo tempo, numa bola cruzada, depois cabeceada de volta, Neymar foi simples e oportunista fazendo o segundo de chapa.

Lucas – e eu já vou falar mais dele – fez o terceiro em um golaço por cobertura. Aliás, nunca vi um time tentar tanto fazer gols por cobertura – só no video-game, talvez. O menino da vila dita a moda do futebol dos mais novos mesmo. Parece…

Lucas saiu depois de tomar um pisão, Diego entrou. Danilo saiu com lesão na virilha – meio preocupante – e entrou Galhardo. Neymar saiu também depois, acho que para não ser expulso – ele já tinha amarelo, meio suspeito, por simulação e a coisa estava ficando feia.

Neymar – ainda em campo – pegou a bola na saída de ataque do Chile, partiu com ela e tocou pro Droguibinha (Diego Maurício) fazer mais o dele. Bem no finalzinho do jogo, o mesmo Diego cruzou na cabeça do William para o Brasil marcar o quinto e enterrar o Chile.

Tudo bem que essa Seleção teve resultados mais apertados nos últimos jogos. Com um empate e um 1 x 0 magrelo. Assim, essa goleada reanima e chama a atenção. Mas, para mim, o que mais saltou aos olhos nesse jogo foi a incapacidade do Lucas de tocar a bola – e, de vez em quando, do Neymar também. Fazer o ‘um dois’ básico, fundamento do futebol, que a gente aprende desde menino. A cada vez que ele pegava na bola já era possível prever:

Ou ele iria cortar pro lado que não houvesse outro jogador brasileiro e sair correndo…até chegar um ou dois chilenos e roubarem a bola; ou ele iria  driblar bem, ficar empolgado, e ao invés de tocar pro companheiro livre seguir correndo pra, finalmente….perder a bola de novo.  Foi de perder as contas de quantos lances ele matou por não ter tocado.

Não da pra crer que o técnico Ney Franco não fale nada, nem que os companheiros de time não reclamem. Salta os olhos, é revoltante. Ao que parece ele continua ‘impune’. Nos lances do quarto e quinto gols deu pra ver a diferença do Brasil com e sem Lucas. Neymar fez, no 4º, o que ele com certeza não faria: tocou para Diego, livre, marcar o gol. Diego, no 5º, deu a assistência certeira.

O jovem da base sãopaulina não pode querer uma carreira no futebol com essa atitude. Nesse jogo, os lances que morreram nele não fizeram falta – no placar. Mas, imagine isso em um jogo decisivo?

Alguém tem que explicar para ele: driblar um, dois jogadores, e tocar para um companheiro em boa condição , faz dele o craque do jogo; driblar um, dois jogadores (ou tentar fazê-lo) e sair correndo – ou simplesmente só sair correndo – sem tocar para ninguém, perder a bola, matar o lance, cair no chão…bom, com isso ele só faz xingarem a própria mãe. Vale lembrar, o Neymar melhorou muito (na marra, mas melhorou), mas ainda peca algumas vezes da mesma forma que Lucas.

Hoje, o Brasil ganhou de 5 a 1 apesar de algumas falhas de Lucas e, um pouco menos, Neymar, por puro individualismo. E outras, de quase todos do meio pra frente, por preciosismo.

Pra fazer justiça, vou destacar, mesmo que rapidamente e no fim do post, a atuação do Casemiro, do William e do Diego Maurício. O primeiro, fez o simples quando precisou, salvou várias bolas lá atrás e cumpriu muito bem o seu papel. O segundo, deu assistência, fez gol, partiu em velocidade acompanhando; podia ter aparecido mais, mas quando apareceu não decepcionou. O terceiro, entrou no lugar do Lucas, que eu tanto malhei, e fez tudo que o rapaz não fez (gol não conta, porque o fominha deixou o dele). Participou, deu passe quando tinha que dar, segurou quando tinha que segurar, fez o gol dele sem enfeite, sem preciosismo.

Quarta (ou Quinta, não sei) tem outro, contra a Colômbia. Vamos acompanhar…

Por Bruno Jeuken

Anúncios

2 responses to “Sub-20 e o problema da fome no Mundo

  1. NEYMAR VOCE JOGA MUITO MAIS VC PRECISA MELHORAR MAIS UM POQUINHO PARA CHEGAR NO MESSI(sou seu faaa…)

  2. Não vi o jogo… o horário não ajuda… mas o comentário marca a tendência dos ultimos jogos também.

    Gosto do trabalho do Ney Franco, com um time ofensivo ao extremo, mas ainda sim acredito que esta equipe ainda precisa encontrar um equilibrio tático para melhor usar seus talentos individuais (que são muitos).

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s