Como se complicar na Copa do Brasil?

Pergunte a Botafogo, Atlético-MG, Atlético-PR e Palmeiras, que conseguiram a proeza.
Vasco (quem diria), Bahia, Paraná Clube… estes passaram sem maiores problemas.
Mas os demais…

Esse ganhou uma grana no bolão da firma...

Claro que estou exagerando. Principalmente no caso do Palmeiras. A equipe alviverde que foi até Teresina enfrentar o Comercial-PI merecia um resultado melhor. Jogando no Albertão (também conhecido como “Queijo Suiço Sports Arena”, com dezenas de buracos que homenageiam o laticínio europeu) os visitantes foram superiores durante toda a partida. Tinham a posse de bola e a iniciativa de ataque. Logo no começo do segundo tempo já possuíam os dois gols de diferença que precisavam para evitar o jogo de volto. Podiam ter liquidado a fatura, mas… a equipe parou. Ficou com preguiça… sei lá… não me pergunte o motivo. Talvez a falta de entrosamento consequência de uma equipe cheia de modificações. A ausência do sempre decisivo Marcos Assunção talvez… Kléber ainda brigava lá na frente, incomodava a zaga, Cicinho (não aquele) tentava escapar com velocidade pela direita e Valdivia mostrava que logo reencontraria 100% de seu futebol, mas… a equipe travou. Aquele jargão de comentarista que diz “eles acreditam que farão o gol a qualquer instante” parecia verdadeiro. E veio o castigo aos 30 do segundo tempo com o cabeceio do zagueiro Rafael, após cobrança de escanteio.

Terá que lidar durante a semana com o fantasma que a imprensa invocará de eliminações precoces anteriores… isso depois do clássico é claro.

O Atlético-MG também venceu, no jogo mais disputado da rodada. O Iape-MA fez valer sua torcida e chegou a frente do placar no primeiro tempo com 2 a 1, tomando a virada no segundo. Galo pecou no futebol, mas mostrou atitude de quem não ia deixar barato levar um resultado ruim pra BH. É isso que o torcedor sempre espera!

Já o Botafogo não tem nem uma atuação razoável para comemorar. O time esteve irreconhecível no Batistão, em Aracaju. Não acertava um passe…. UM!!! O empate fora de casa parecia lucro já quando levou o gol de Bebeto Oliveira aos 40 e tantos do segundo tempo. Pelo menos terão o fim de semana inteiro para pensar no que fizeram de errado…

Outro a se lascar foi o Atlético-PR. O Furacão esteve mais para um brisa de primavera e não conseguiu se impor contra o Rio Branco-AC. 2 a 1 para o time da casa, fora a constatação de que os paranaenses fazem um de seus piores inícios de temporada dos últimos tempos. Será que a chegada do recém-contratado Geninho pode ajudar?

Fica a lição de não diminuir o ritmo contra um adversário mais fraco e além de ajudarem e muito a situação do time menor – que com a renda do jogo, mais patrocínios para o inusitado jogo de volta deve fazer um bom pé-de-meia – devem passar a semana pressionados por torcida, imprensa… dirigentes… e sem folga na quarta feira é claro. Se perderem, ninguém pula carnaval!!

 

POR YURI MOLEIRO

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s