Fritura de Muricy no Flu

Todo mundo que já treinou futebol, nem que seja por um curto período da vida, sabe reconhecer o perfil dos técnicos profissionais que a gente vê por aí em campeonatos de grande porte. E sabe que o Muricy é um daqueles chatos, que te tira do time sem te explicar e dá bronca na frente da sua vó se for preciso.

Muricy Ramalho tem uma visão simples de futebol: como trabalhar sem a bola e como trabalhar com a bola. É isso que ele prioriza nos treinamentos, sempre dando chance a quem vem jogando melhor. Gosta de times com sistemas defensivos bem postados, centroavante goleador e bons laterais. Assim como Tite ficou marcado como retranqueiro e Adílson Batista como professor Pardal, Muricy ficou marcado como quem gosta de chuveirinho. Era fácil defendê-lo na época do SPFC, visto que o time foi tricampeão brasileiro sem um meia de inteligência – exceto pelo Danilo, que era mais um meia esquerda que tava lá pra enfiar pancada pro gol quando a coisa complicava – e aquele era o único jeito de armar o time.

Já no Fluminense, Muricy experimentou em 2010 a sensação de intocável. Recusou a seleção Brasileira e foi campeão nacional, título que o Flu não levava desde 1984. Era tratado como um Deus não só pela torcida tricolor, mas por toda a imprensa brasileira. Assim como era tratado na época do tricampeonato nacional pelo outro tricolor…

Mas a memória dos brasileiros é curta. Não existe crédito, existe gratidão. Na hora das derrotas, é “amigos amigos, negócios a parte”. Depois de empatar em casa contra o Argentinos Jr, ser eliminado da Taça Guanabara pelo pequeno Boavista e empatar novamente em casa com o Nacional do Uruguai, as papas na língua foram embora. Críticas ao esquema tático, constatação de chuveirinho excessivo, reclamação por ter Souza no banco e só usar Conca na armação – facilitando a marcação do time adversário -, entre várias outras críticas.

Eu particularmente nunca gostei do estilo de jogo do treinador Muricy Ramalho. Mas também nunca neguei que era um estilo competitivo. Muricy era treinador do Internacional vice-campeão Brasileiro em 2005, SPFC tricampeão 2006-2008, esteve no Palmeiras em 5º lugar em 2009 e foi campeão novamente pelo Fluminense em 2010. Foi eleito o melhor treinador do Campeonato 5 vezes nas últimas 6 edições do Brasileirão. Isso sem contar o vice-campeonato da Libertadores pelo SPFC em 2006, quando perdeu o título por culpa do estressado Josué e do Lugano que errou um gol inacreditável.

Mesmo assim, a fritura continua, num time que tem tradição de mandar técnicos embora sem respeitar o histórico recente – como Cuca, que em 2009 realizou milagres pra manter o clube na primeira divisão e depois foi mandado embora pra chamar o próprio Muricy. A questão é muito simples: Muricy é competitivo, tem crédito pra se recuperar em qualquer competição e a situação atual da equipe é dificilmente culpa dele. Mas os resultados têm sido ruins, e isso aumenta a pressão sobre o cargo que ele ocupa. Caso a demissão ocorra: quem entraria no lugar dele?

Os dirigentes por aqui ainda têm muito o que aprender…

*Por Luis Felipe Ferreira

Anúncios

One response to “Fritura de Muricy no Flu

  1. Era peruca nessa foto antia né kkkkkkk

    Mas realmente, acho cedo ainda pra se falar em fritura do Muricy! Técnico não vive de curriculo, mas mesmo ele fez um bom campeonato carioca com o Flu e na Libertadores, se não foi bem, ainda não foi mal…

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s