Mas que p*rra é essa?

O blogueiro Arce, aqui do Futebol e Memória, tem ficado conhecido pelas suas criticas mordazes contra o chamado futebol moderno. Para ser mais especifico sobre o ponto que vou falar, chamarei de “modernices do futebol”, espero que ele permita.

Concordo em alguns pontos, discordo de outros, mas há algo que hoje me parece concenssual não só entre nós do blog como entre todos que apreciam o esporte:

FUTEBOL SE JOGA DENTRO DE CAMPO, ONZE CONTRA ONZE, SEM CHORORÔ.

A beleza do esporte se esvai quando esta máxima é posta em cheque.

Muitos fatores fora do campo ajudam a montar um time vencedor: comissão técnica competente, diretoria séria, infraestrutura adequada, patrocínios generosos… fazem diferença sim, sem dúvida!! Mas mesmo com tudo isso, se teu time não entrar ligado contra o XV de Piraporinha quando for enfrenta-lo… tchau tchau!!

Graves problemas se dão quando se deixa de pensar no esporte como o  obejto princiapl de uma equipe de futebol. Cansamos de ver casos em que interreses pessoais, dinheiro e política falam mais alto num clube do que o cuidado, o zelo, ou simplesmente a seriedade  em lidar com uma marca (mesmo vista como marca e não como paixão, bons administradores não precisar ser torcedores… em alguns casos até atrapalha).

Algumas vezes quem manda...

Podeira citar a confusa implosão do Clube dos 13 arquitetada pela Globo e pela CBF – com o aval de muitos dirigentes… o Clube dos 13 não era recheado de anjinhos, mas ruiu porque valeu o “cada um por si e Deus por todos” – assim como a realização (ou não, só acredito vendo) da Copa do Mundo de 2014 e da eleição fajuta no São Paulo, com interpretações enviesadas do estatuto e tudo mais. Poderia, mas não vou, porque vou usar o exemplo do dia:

Em anuncio feito na tarde desta quarta-feira, pela prefeitura de Presidente Prudente (friso o PREFEITURA, o clube nem se dignou a falar sobre o caso oficialmente frente a sua torcida), o Grêmio foi novamente vendido a um grupo de empresários e volta a Barueri, sua cidade de origem.  Foi a forma encontrada pelo prefeito Rubens Furlan (PMDB), que não poderá tentar nova reeleição, para fortalecer a candidatura do escolhido para ser seu sucessor. A equipe que ficou pouco mais de um ano no interior estreou disputando bem o Campeonato Paulista de 2010, mas nos últimos meses amarga dois rebaixamentos (no Brasileiro e no Paulista deste ano). A informação inicial é de que os sócios receberão R$ 6 milhões em dinheiro e o grupo de empresários, ligados ao prefeito de Barueri, ainda assumirá os ativos do clube-empresa, que somam cerca de R$ 14 milhões.

Agora é só colocar a flechinha pro outro lado...

Pode isso Arnaldo?

Pooooode. Pode sim. A FPF demonstrou todo seu descontentamento em diversas ocasiões, mas não pode impedir este tipo de translado. Se estas negociações devem ser permitidas eu não sei, mas considero uma grande sacanagem com jogadores, comissão técnica e torcedores!!! Olhando rapidamente blogs falando sobre o assunto, a população de Prudente não esta engolindo bem a história… e nem a população de Barueri, que acolheu um time jovem, em franco crescimento, mas que abandonou a cidade e sua torcida por picuinhas envolvendo dinheiro e interesses políticos com o poder local.

A impressão que eu tenho, é que não serão tãããão bem recebidos na volta à cidade natal…

São Caetano campeão paulista de 2004: prefeitura atuando junto.

Isto cria uma séria crise no jovem clube logo de saida: esta alternativa do translado, para buscar melhores condições estruturais e econômicas não é incomum, mas depende muito da recepção do clube (ou da marca, falando em outros termos) pelos seus novos torcedores (ou consumidores). Na NBA por exemplo, a Liga profissional de Basquete americana, os donos das equipes, principalmente as pequenas, buscam locais que ofereçam terrenos, consumidores, isenção fiscal, assim como fazem as grandes empresas ao decidir onde instalar uma fábrica. Quem paga mais leva. Você pode dizer: “problema deles”!!! E eu concordo!! Até o ponto em que entra o poder público na história… no caso daqui ainda mais do que lá. Muitas cidades se aventuram neste tipo de empreitada, como São Caetano, São Bernardo e Santo André (ABC comandando a lista) e é sim papel dos administradores fomentar o esporte na sua região… mas há muitas formas de fazê-lo, e algumas são mais corretas do que outras!! Justificar os gastos da cidade com a recepção de um clube de futebol é um primeiro passo crucial para validar a iniciativa. As prefeituras teriam que analisar realmente se este é um bom negócio.

E as vezes é! São Caetano é bom exemplo, mas há melhores.

FedEXForum, casa do Grizzlies. Contruido em 2004 ao custo de 250 milhoes de dólares, tem restaurantes, lojas, cinemas, serve também para jogos de hóquei e gera 4,5 milhões de dolares por ano com naming rihgts da expressa postal, até 2023. Outra realidade...

Nos Estados Unidos – além do RIGOROSO controle da federação na regulamentação deste procedimentos, com a necessidade de aprovação do Board of Governors (orgão máximo da NBA), com a anuência dos outros times, no mínimo 16 votos e pagamento de uma alta taxa de transferência fixada pela entidade – podemos apontar o Memphis Grizzlies (ex-Vancouver Grizzlies) e o Oklahoma City Thunder (ex-Seatle Supersonics), ambos semifalistas da Conferência Oeste nesta temporada (próximo jogo dia 11 maio, 22:30, não percam!!) como exemplo de casos que deram certo. Muito “cash” movimentado com a contrução das quadras (verdadeiros complexos  de entretenimento) e com o aquecimento do comércio. Agora, volto a dizer, tudo dependeu muito da aceitação da população local. Se ela iria aos jogos, se ela compraria os produtos do time, se ela abraçaria seus novos representantes… ou seja: por mais grana que se movimente, mesmo num negócio desta magnitude, para obter o sucesso tudo depende de paixão!!

E é esta paixão que dirigentes e empresário que comandam o Grêmio (Prudente, Barueri, Guarujá, não me interessa) estão minando. Faz mal para o esporte, para o time e – apenas nestes termos eles compreendem – para os negócios. Se o público de Barueri, que já havia criado laços com o clube e foi abandonado, não perdoar a “traição” (notem como o caso é parecido com uma furada de olho daquelas…), o que será do clube???

Não sei… mas tudo que acontecer com ele agora, será por pura irresponsabilidade de quem comanda seu futebol. É esperar e ver. E se der merda eu vou rir.

POR YURI MOLEIRO

Anúncios

5 responses to “Mas que p*rra é essa?

  1. Se fosse com o time da minha cidade, lá de Votuporanga, eu também não perdoaria não. Futebol é uma coisa bonita e o apego de uma pessoa ao clube é um sentimento que tem que ser respeitado…

    Valeu pelos comentários, gente

  2. Eu torci tanto pelo barueri qd jogavam aqui. Moro perto da Arena e sempre ia acompanhar.

    Nem fui acompanhar o novo time, pq dps da saida do gremio o desejo de ir ao estadio foi junto. so vou em jogo do são paulo agora, mas gostava mto do gremio qd ele ainda estava aqui.

    agora vai voltar mas é como disseram, não será a mesma coisa

  3. O Forlan é um salafrário daqueles! Lembra quando o CQC fez a matéria da tv q foi doada pra uma escola em barueri e apareceu na casa de uma secretária? tudo coisa da corja deste pilantra.

    A cidade ainda trouxe o Campinas pra jogar na arena, para ser o time dele. Mudou o nome pra sport clube barueri, tomo umas bordoadas, foi rebaixado e agora querem o antigo time de volta. tudo pra garantir eleição. espero q o povo de lá não vote em gente desta laia

  4. Como você bem disse, é só quando mexe com a grana que os dirigentes começam a ficar incomodados.
    Eu, no lugar dos antigos torcedores do Barueri, não iria aos jogos. Simples assim. Nem compraria nada relacionado ao clube. Qual verba manteria o time? Nenhuma. E que sirva de exemplo.
    Isso aconteceu com a Votuporanguense que, rebaixada novamente no Paulistão, foi pra Hortolândia juntar com o time de lá, não virou nada, e voltou pra votu. Mas esse caso até é outro. Éramos A3 em votu, subimos prá A2, só empatamos e perdemos, e voltamos com o rabo entre as pernas. Mas muito disso se deve à molecada que jogava lá (eu conhecia quase todos): um bando de marrentos que carregava o mundo na barriga. Mereceram o rabaixamento.
    A torcida do Palmeiras deveria seguir este exemplo: fiel até certo ponto, porque desde 2000 só vem tranqueira e é humilhação atrás de humilhação. Quem sabe quando os engravatados pararem de enxer os bolsos com a grana dos ingressos eles resolvam olhar com mais carinho pro futebol?

  5. Eu não torço mais por eles aqui em barueri!!

    Como o blogueiro disse, tem muita gente que não perdoa esta traição!! Vi op time de Pedrão, Fernandinho, torci no brasileiro, copa do brasil pra ver os caras irem pra prudente?

    Comprei camisa pra que? Pra bancar o otário?

    não tem perdão

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s