Casa da Mamma Joana

Num jogo em que nem Marcos Assunção acerta cobranças de falta, é que a coisa tá feia mesmo.

O Palmeiras entrou em campo uma bagunça. E nem dá pra falar que foi a falta dos titulares. Até porque o Felipão já cansou de falar: “não temos plantel, tchê”. E dá nisso.

Sem Marcos, Thiago Heleno (que saiu no meio do jogo), Kleber, Luan, Maikon Leite e Valdívia, o Palmeiras foi a campo num 4-5-1 que eu achei que tinha sido abolido do mundo do futebol, principalmente dos lados do Palestra, desde que o Caio Júnior não usava em 2007. 5 volantes. 5 VO-LAN-TES. Madona, mia… O jogo prometia emoções, com Rivaldo na armação das jogadas.

Mas não deu outra. Com menos de 4 minutos o Bostafogo fez 1. Com menos de 20 fez 2, e antes dos 15 do segundo tempo já tinha feito o terceiro.

No primeiro parecia que a zaga não sabia nem o nome um do outro. Jogaram a bola dentro da área pra ver o que acontecia, e aconteceu um gol.

O segundo gol foi a mesma coisa: jogaram lá pra dentro, bateu em todo mundo, antes de entrar bateu na cabeça do Gustavo (ex-Palmeiras), que mal comemorou e depois saiu correndo.

O terceiro nem dá pra falar que foi inesperado: quando Murtosa colocou o segundo atacante concordei com ele. Perdendo de 2 ou de 10 dá na mesma. Só que errou ao tirar Tinga. Tinha que ter saído Rivaldo. Aliás, se um técnico escala esses 2, deveria tomar amarelo só pra tomar vergonha na cara.

Aí o Assunção, sempre ele, bateu uma falta que, grazie San Genaro, desviou no meio do caminho e entrou.

Não vou dizer que foi dos males o menor porque pior que isso só se perdêssemos de 6 a 0 o placar fosse mais elástico. Mas foi horrível, foi humilhante. O Palmeiras entrou medroso. Quem entrou não teve um mínimo de decência. Ninguém lutou, ninguém correu. Ou melhor: Fernandão lutou. Mas o resto… Cicinho esteve irreconhecível. Gabriel Silva errava até cobrança de lateral. Henrique alterna glórias e fracassos. Thiago Heleno tretou com alguém lá e trocou elogios, mas perdia bola a rodo. Depois Leandro Amaro, limitadíssimo, fez o que pôde, mas não se pode esperar muito dele. Chico só tem uma cabeçona quadrada, nada mais. E olha que foi um barulho pra contratá-lo… Márcio Araújo, de primeiro volante, era o único que tentava levar a bola pra frente. Marcos Assunção, coitado, olhava de um lado tinha Rivaldo, do outro Tinga, é de desanimar mesmo. Aliás, Tinga e Rivaldo como armadores… o segundo só sabia chutar pra onde apontava o nariz. E o Fernandão, que não é nenhum Romário pra ficar lá sozinho na frente, vai fazer o quê?? Nem quando Ricardo Bueno entrou mudou alguma coisa. O cara tá fora de ritmo (?).

É isso aí, Palestrinos. Como se não bastasse a humilhação, o Bostafogo sumiu na nossa frente. Citando São Marcos: “vai entrar na Libertadores pra quê? Pra perder?”.

Ainda assim, vai, Palmeiras!

Anúncios

One response to “Casa da Mamma Joana

  1. Pingback: 20ª rodada do Brasileirão 2011 (parte 1) | FUTEBOL E MEMÓRIA·

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s