A importância de um zagueiro negão

São muitas, a meu ver.

1. Os negões dão mais medo. Talvez seja pela aparência, mas eu sinto um zaga mais sólida quando tem um negão do que quando são dois branquelos com cara de criados pela vó.

2. São mais fortes. Não sei se só eu penso assim, mas os negros são mais fortes que os brancos. É só comparar qualquer seleção africana com qualquer seleção europeia.

3. Impõem-se mais. Eles chegam mais junto, batem boca, intimidam adversários, marcam em cima, grudam, batem, fazem o que precisa fazer. Compensam a falta de técnica de forma geral (problema (?) comum em zagueiros) com muita raça. E é isso que se espera de zagueiros.

4. São negões. Num país em que a hipocrisia aumenta assutadoramente, e os gays ficam todo ofendidinhos quando são desrespeitados mas destilam preconceito contra um negro só porque tem a pele escura, dentro de campo os negões podem encontrar uns desses imbecis que julgam pela cor. Aí o juiz e o adversário têm que tomar muito cuidado pra não confundir sua imbecilidade com erro do zagueiro e acabar ofendendo ou julgando sem merecer.

5. São líderes dentro de campo. Porque são mais fortes, raçudos e corajosos, têm a manha de se tornarem líderes “sem querer”. Se fazem ouvir e respeitar dentro de campo.

6. Fazem as vezes de falantes de espanhol na Libertadores. É uma prática comum: em campeonato sulamericano, os técnicos preferem capitães que falem espanhol, pra poder conversar com o juiz. É a mesma coisa. Um negão na zaga vale muito. É uma região perigosa de se atuar, e eles intimidam. E pra tirar atacante do sério, nada melhor do que intimidar. Imagina o Neymarzinho todo serelepe, ou o Nilmar, dançando na frente de um Clebão, de um Domingos. O cara dá-lhe um arranca-toco que o moleque perde até o rumo de casa. E segue o jogo.

A meu ver, todo time tem que ter um zagueiro negão. Pelo menos 1. Não lembro de nenhum time forte que não tenha tido negões no sistema defensivo. Eu, por jogar na defesa, tenho como ídolos na maioria defensores. Entre eles estão Aldair, Junior Baiano, Clebão… Negões. E eram CRAQUES. De uma época em que os craques existiam também da linha de meio de campo pra trás.

Ano passado, se não me engano, na Copa de Futebol Júnior de SP, um time, não me lembro qual, tinha um zagueiro, também não me lembro o nome (informação completa: você vê aqui!), que era um negão 4×4, enorme, forte, raçudo. Não tinha técnica nenhuma! Mas a botinada dele, madona mia! Como um cara daquele nunca se profissionalizou? É a reencarnação do Clebão. Mas, sabe como é, né? Nos dias de hoje, se não faz bonito, não vende. E acabamos afogando talentos.

Então aí vai a dica: se você é negão e gosta de jogar na zaga, tem meu total apoio! Vá em frente! O futebol precisa de gente como você.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s