Adílson relâmpago

Adílson cronometrando quantos segundos passa em cada clube.

Como a maioria dos treinadores (Felipão, Luxemburgo, Zagallo, Mano, Abel, Muricy, Tite…) Adílson Batista foi também jogador de futebol. E como jogador ele participou de várias campanhas vitoriosas, fez parte de doze títulos. Libertadores pelo Grêmio em 95, Recopa em 96, alguns estaduais e foi jogador do Corinthians no polêmico Mundial de 2000, ano em que encerrou sua carreira de jogador.
Em 2001 já começou a de treinador no Mogi Mirim. Pouco tempo de trabalho, apenas um ano, e já foi para Natal treinar o América do RN. Lá, foi campeão potiguar de 2002. Campeão ele foi também pelo Figueirense em 2006, estadual novamente, e esse foi o caminho para treinar o Cruzeiro. Seu melhor momento.

Bi-campeão mineiro 2008-09, finalista da Libertadores 2009. É ai que começa a queda vertiginosa. Chegou à final contra o Estudiantes, time que havia ficado em segundo lugar no grupo em que a Cruzeiro foi primeiro. Empatou o primeiro jogo fora de casa (!!!). Sim, tudo encaminhado para ele se consagrar como técnico de ponta, ter um título de peso no currículo, chance do Cruzeiro coroar um bom time depois de anos passados desde a tríplice coroa de 2003. Faixas de campeão já eram vendidas em BH. Em casa, o Cruzeiro perdeu por 2 a 1 e os argentinos foram perder para o Barcelona no Mundial.

Em 2010, Adílson assumiu o Corinthians de Mano Menezes, que foi treinar a Seleção. O time estava voando, era candidatíssimo ao título. Seria algo como o Celso Roth que pegou o Internacional no final da Libertadores no mesmo ano e ficou com o título no currículo quase de graça. Mas não, estamos falando de Adílson Batista! Foram sete vitórias(good), quatro empates(han?) e seis derrotas (wtf, motherfucker?). O último jogo foi uma derrota por 4 a 3 contra o Atlético GO (que ele viria a treinar) em pleno Pacaembú.

De lá para o Santos…e eu, santista, me perguntava “Por que?”. Adílson comandou o time em uma campanha pífia na primeira fase da Libertadores, apesar de ter ido bem no Paulista – mas isso foi responsabilidade mais do Elano do que dele. Se o Fluminense não troca de presidente, o que acabaria tirando Muricy do clube (por vários motivos), o Santos seria desclassificado da Libertadores da qual saiu campeão. Muricyzão assumiu um time quase desclassificado. Outra demissão para o currículo de Adílson, dessa vez ainda a tempo – diferente do caso Corinthians.

Eis que o Atlético PR contrata o homem. Outra campanha ruim que se arrastou até uma derrota em casa para o Bahia por dois a zero. Nesse caso, parece que foi o Adílson quem pediu demissão. Ele já sabia que seria demitido (pelo visto). Pedindo demissão ou demitido, fato é que ele não deu certo mais uma vez. Ficou ao deus dará. Até que…

O São Paulo ofereceu um contrato. De apenas cinco meses, ok, o clube estava esperto, sabia do retrospecto. Adílson aceitou, ele também conhecia seu próprio retrospecto. Disse então que seria sua volta por cima. Passou seis jogos sem vitórias, o time saiu pela primeira vez do G5 e ele foi demitido em tempo recorde.

E ai foi contratado pelo Atlético-GO, uma queda brusca. Estava começando um trabalho, recebeu convite do Cruzeiro para voltar a BH. Rejeitou. Dois dias depois disso, tendo comandado apenas 10 jogos, foi demitido novamente. Disse que não entendeu o por quê.

Do Corinthians ao Goianiense, o aproveitamento do Adílson Batista foi esse:

Jogos: 74
Vitórias: 28
Empates: 26
Derrotas: 20
Aproveitamento: 47%
(fonte: Terra)

Eu não sei o que passa pela cabeça dele e da família. A única certeza é que ele não aguenta mais mudança. Já pensou? De Belo Horizonte pra São Paulo, dai pra Santos, pra Curitiba, de lá pra São Paulo de novo e ai pra Goiânia. Eu, hein. O pior de tudo é que Adílson tem fama de estudioso, ele analisa os clubes que vai treinar e os adversários, faz projetos, entende de tática e segue estudando. Provavelmente seu problema está no modo de comandar os jogadores, na relação com o plantel e com a diretoria, talvez também com a torcida. E isso é tão indispensável a um treinador quanto saber a diferença entre zagueiros e atacantes.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s