Novela escrita pela DIS

Chegou ao Santos anos atrás um menino do Pará, que jogava futsal e parecia ter muito futuro. Paulo Henrique Lima foi trazido para o clube da praia pelo ídolo Giovanni, o Messias da Vila, que também é do Pará. PH entrou nas categorias de base e nunca foi a principal estrela dos times, se destacou apenas o suficiente nas Copas São Paulo de Futebol Junior. Chegou a subir para o profissional duas vezes e voltar para a base nas duas. Nenhum técnico tinha interesse nele, chegaram a dizer que ele é lento demais, que não serve para futebol profissional.

O Santos bancou, confiou. Assinaram um bom contrato. Em 2009 ele foi se acertando em campo e conquistando espaço. Em 2010, Paulo Henrique, o Ganso, estourou junto com Neymar. Ganharam dois títulos, um Paulista e uma Copa do Brasil, houve um coro nacional pedindo que os dois fossem convocados para a Copa do Mundo. Ganso estava jogando muita bola, muito bem mesmo.

Na final do Paulista contra o Santo André, o Santos já tinha 3 jogadores expulsos, se tomasse um gol perdia o título. Ganso subiu estratosfericamente no conceito de todo mundo quando negou uma substituição “EU? Eu não! Eu fico!!!” e segurou a bola genialmente: deu chapéu, rolinho e – o ápice daquele jogo – cobrou um escanteio pra ele mesmo.

Mas o entorno de Ganso não é nada bom. São empresários da DIS, braço esportivo do grupo Sonda. Eles já deram, juntos, um calote monstro em Giovanni, o cara que trouxe ele para Santos e tinha um acordo para ficar com uma porcentagem do passe de PH. O Messias ficou chupando dedo. Esses empresários, e Ganso por tabela, fazem tudo de mais obscuro para conseguirem o que quer.

Desde o fim de 2010, quando o Ganso estava se recuperando de uma lesão seríssima no joelho, o Santos já ofereceu vários contratos para o jogador. Mas os empresários não querem. Basta lembrar que sempre que havia um jogo importante para o Santos em 2011 vazava uma notícia de quem Paulo Henrique estava de saída. Quase sempre para o Corinthians. A DIS vazava essas mentiras para criar um clima estranho, para tentar jogar a torcida contra o jogador. Eles queriam e querem forçar a saída de Ganso. Por isso os contratos do Santos não são interessantes: a cláusula de rescisão seria altíssima.

O que eles querem é vender o jogador para Europa, para qualquer time, por qualquer valor, para conseguir uma segunda transferência, essa sim absurdamente gigantescamente alta. Como Kaká do Milan para o Real Madrid, ou Cristiano Ronaldo…enfim. Eles querem também um salário muito alto para Ganso, e o próprio Santos quer aumentar. O clube sabe e já deixou bem claro que o salário do jogador está muito baixo (cerca de 150 mil) e quer aumentar. Mas a DIS quer, como para Neymar, 100% dos direitos de imagem e um salário total de pelo menos 1 milhão de reais.

Mas temos que concordar que a dúvida de quem é melhor – Neymar ou Ganso – já não existe mais. Todo mundo sabe que Neymar é o melhor dos dois, pelo menos atualmente. E o fato é que Ganso não vale o quanto a DIS acha que ele vale. E nessas, o tiro no pé: do máximo de reconhecimento que ele alcançou na final do Paulista em 2010, caiu para o mínimo possível quando no Mundial de Clubes ano passado anunciou que tinha vendido os 10% de seu passe que lhe cabiam para os empresários. A DIS então passava a ter muito mais voz acerca do futuro do camisa 10. Ele cedeu aos empresários e quis peitar o Santos. Ganso não é bobo.

O clube perdeu a paciência e já se posicionou: Ganso tem contrato até 2015, se quiser melhorar o salário tem que aceitar o novo contrato, se não quiser que arrume algum clube que aceite pagar a multa. Como nenhum clube Europeu mostra interesse por Ganso, o Internacional aparece como uma luva. Por que?

Pato, Nilmar, Giuliano, agora Oscar. O Internacional vende todo mundo, é easy going demais. Além disso, Delcir Sonda – dono do grupo SONDA, que tem a DIS como braço esportivo – é colorado fanático. Nesse caso, falam alto o lucro e o coração. Levar o Ganso para o Internacional é ter a certeza de que ele será vendido depois das Olimpíadas caso haja propostas. Se não houver, é a chance de ter um bom jogador no time do coração do chefe.

Sendo assim…
Não esperem ver os santistas pedindo para o Ganso ficar, como estão fazendo os torcedores do Boca com Riquelme, ou como o próprio Santos fez até com o Zé Roberto. Não! Dessa vez não! Vai, Ganso. Já passou da hora.

Texto escrito por Bruno Jeuken (@OJeuken)
Que estuda História e não revisou o texto por pura preguiça 

Anúncios

2 responses to “Novela escrita pela DIS

  1. Ganso e Neymar são duas enganações. Não são pernas-de-pau, mas também não são aqueles craques que fazem os adversários tremerem. É só lembrar do jogo contra o Barcelona, onde ninguém notou a presença de ambos.
    O Ganso não teve escrúpulos com o Giovanni e parece que não vair tem com ninguém. É melhor o Santos librerar o atleta antes que precise ficar pagando os salários sem o atleta em campo.
    Neymar já deveria ter ido embora, já deu o que tinha que dar.

    • Sobre o Ganso eu concordo.
      Sobre o Neymar, não sei. Acho uma ótima ele ter ficado. E no jogo contra o Barcelona ninguém jogou, não foram só os dois. Da mesma forma que tiveram jogos nos quais até o Cristiano Ronaldo sumiu contra o Barcelona, quando o Real perdeu de 5 a 0 por exemplo.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s