Aqui é trabalho

Continuidade, do básico ao extremo:

Cuca.

Fama de azarão, estava em baixa, foi contratado pelo Atlético MG em 2011.
Não ganhou nada. Mas também não foi demitido. Em 2012 começou o ano sendo campeão mineiro e foi fortíssimo candidato ao título brasileiro. Mas não ganhou. Ainda assim, não foi demitido. Continuou o trabalho. Agora começa fantasticamente bem a Libertadores 2013 e finalmente o Galo é candidato ao título continental. Seríssimo candidato

Arsène Wenger

Assumiu o comando do Arsenal em 1996. Hoje em dia está em baixa, mas houve anos de glória. Chegou ao clube e não ganhou nada no primeiro ano. A diretoria bancou, o trabalho continuou e ele já acumula 12 títulos pelo clube inglês. Há dois anos montou um time excelente, com futebol ofensivo, que chegou a ser comparado com o Barcelona. Continuidade!

Tite

Chegou ao Corinthians depois de Adílson Batista ter comprometido a campanha no Brasileirão. Tentou acertar o time a tempo, mas não deu. Perdeu o Brasileirão 2010. Em 2011, com Ronaldo e Roberto Carlos no elenco, foi desclassificado nos play-offs da Libertadores pelo Tolima, um time praticamente insignificante se comparado ao  Corinthians. Tite novamente não foi demitido. Depois disso, chegou até a final do campeonato paulista, ótimo!, mas perdeu para o Santos. Não foi demitido.
De lá pra cá ele e os jogadores foram campeões brasileiros de 2011, ganharam o título inédito da Libertadores em 2012 e, ganhando do Chelsea, voltaram do Japão como campeões mundiais.
Esse ano, de novo, o Corinthians é forte candidato aos títulos que disputa. Todos.

Sir Alex Ferguson

Vinte e sei anos treinando o Manchester United.
Doze títulos da Premier League, a primeira divisão da Inglaterra, maior e mais tradicional campeonato nacional do Mundo. Doze! Cinco FA Cups; Quatro Copas da Liga; não perca as contas!!! Dez Community Shields; duas Champions League; dois Mundiais; além de outros títulos menos expressivos.
São tantos títulos que ele deve ter chegado ganhando tudo, não é? Não!
Ferguson passou quatro (eu disse quatro!) anos no Manchester sem ganhar absolutamente nada. Nada! O primeiro título importante, uma Premier League, só foi conquistado em 93, ou seja, sete (eu disse sete!!!) anos depois de ele ter assumido o comando do clube.

***

Poucos clubes no Mundo teriam essa paciência. Imagine um treinador que chega no seu clube do coração e passa 4 anos sem ganhar nada. Imagine agora que ele até ganhe uma taça aqui e ali, mas nada demais, e que ele só venha a ganhar um título importante 7 anos depois. Não da pra imaginar! Aqui no Brasil e em vários outros países esse treinador não teria chegado nem ao primeiro título. É um erro muitas vezes cometido. Infelizmente…

E o Muricy?

Vamos pensar bem. Na ponta do lápis: o Muricy tem crédito. Certo? Ele já ganhou quatro Brasileirões, três deles seguidos. O de 2005 é polêmico, o Inter montado por ele foi vice por pouquíssimo. Foi campeão da Copa da China e de cinco estaduais aqui no Brasil. Isso tudo antes de chegar no Santos.

Só com esses títulos e com a credencial de ser um dos 3 melhores técnicos do país (talvez das Américas), ele já mereceria a paciência da torcida e da diretoria pra ficar sete anos sem ganhar nada importante pelo Santos. Como Ferguson. Mas ele fez mais!

Muricy chegou no Santos e salvou uma Libertadores perdida, na qual o Santos seria eliminado logo na primeira fase. Ele acertou a defesa, que era uma peneira. Teve que se virar em um jogo importante sem Neymar, Elano e Zé Love…o Santos ganhou. Dai pra frente o alvinegro só cresceu. Com calma, consciência, boa gestão e treinos puxados, o querido professor conseguiu administrar o elenco e ganhar dois títulos ao mesmo tempo: Libertadores e Paulista.

Em 2012 ele ganhou outro estadual, com sobras. Na Liberadores, chegou até a semi-final. Semi-final da Libertadores!!! Perdeu só pro campeão invicto. Prestem atenção, essa campanha é um sucesso, não um fracasso. Com a Recopa do segundo semestre, Muricy e o Santos mantiveram a média de dois títulos por ano. Isso é sensacional.
Se o time foi mal no Brasileiro não é culpa do dele totalmente. A maior culpada é a CBF e a própria diretoria do Santos.
A CBF porque o calendário é uma vergonha, o campeonato não para quando tem jogo da Seleção. O Santos ficou a maior parte do nacional sem o seu principal jogador, Neymar. Sem contar os outros convocados. A diretoria tem sua parcela de culpa porque não pediu remarcação de jogos, nem sequer ameaçou não liberar os jogadores, ficou tudo por isso mesmo.

Muricy não é o culpado.

Ele pensa o futebol de forma moderna, é experiente, vitorioso e conhece muito bem as teorias do esporte. Muito! Se fizer um trabalho de longo prazo, pode conquistar muito pelo Santos.

Essa movimentação “Fora, Muricy” é uma palhaçada, não se justifica. Não se esqueçam o que aconteceu com o São Paulo depois que demitiram o cara. No mínimo um santo forte ele tem…cuidado!

Os números de Muricy
Apoio da Jovem

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s