Palmeiras

Adriano Chuva

Tudo certo aí, companheiro Adriano Chuva?

Adriano Chuva

Outro daquela geração de 2005, era um atacante que comumente acertava um fotógrafo ou um repórter atrás do gol. Mas o gol, nunca. Jogou de 2004 a 2005 no Palmeiras. Talvez o leitor se lembre pelo fato mais curioso da carreira: ao dar um carrinho (no campo de ataque, que fique claro) em direção à linha de fundo, Adriano deslizou muito mais do que o planejado e voou contra as placas de anúncios que ficam atrás do gol. Arrebentou o joelho e ficou meses sem jogar. Os palmeirenses agradeceram.


Agnaldo Palmeiras

Agnaldo: só mudou o cabelo, o peso continua igual

Agnaldo

Eterno reserva no Palmeiras desde o começo dos tempos até 2000, quando foi titular e campeão da Copa dos Campeões, mas somente após sucessivos desmanches da equipe, que teve que perder Jr Baiano, Cleber, Roque Jr e milhares de outros zagueiros para finalmente escala-lo em uma competição. É mais um daqueles jogadores que carregam no curriculum uma Libertadores e ninguém sabe como.


Alceu Palmeiras

Alceu, delicado como uma bailarina

Alceu

Prata da casa, só Leão gostava dele. Começou como volante (mas bem poderia ser aqueles zagueiros troncudos), e o técnico deu a 10 pra ele quando a torcida pedia sua cabeça (a do jogador, mas depois disso pediu as dos dois) Outro daquele 2005 inesquecível.


Alemão Palmeiras 2006

Alemão, dançando um pagodinho bom e barato

Alemão

A safra do “bom e barato” parecia infinita. E não parava de chegar gente: Alemão nunca despertou nenhum sentimento à torcida palmeirense senão a de ódio. Vez ou outra fazia seus golzinhos, mas nunca repetiu o futebol que mostrou no Coritiba. Faleceu em 2007 vítima de acidente de carro. A torcida não o queria por perto, mas uma demissão era suficiente…


Alex Afonso Palmeiras

Bela foto, Alex Afonso. Próximo.

Alex Afonso

Quase ninguém lembra dele. Claro, ele nunca fez nada pra isso. Era atacante, mas não fazia gols. Não driblava. Não marcava. Fazia o quê? Ninguém sabe. O que se sabe é que foi mais um figurante da era “bom e barato” e ainda assim ficou 3 temporadas no Palmeiras, pra se ter uma ideia de como era a coisa…


Alexandre Palmeiras

Alexandre foi de xerifão da zaga a dispensa imediata

Alexandre

Após os anos de ouro de 1999 e 2000 e alguns desmanches, o Palmeiras ainda vivia a ressaca do título mais importante da história – a Libertadores de 99 – e via felicidade em sua dupla de zaga do torneio internacional de 2001. Alexandre estava nela. Porém, sucessivas falhas – principalmente contra o Boca Juniors na semi-final – custaram-lhe a paciência da torcida. E quando a torcida perde a paciência, o jogador dura pouco…


Lateral Amaral Palmeiras

Há quem diga que viu o Amaral acordado

Amaral

Após ser emprestado 2 vezes (e ninguém sabe por quê a diretoria ainda firmava contratos tão longos com essas tranqueiras), Vanderlei Luxemburgo disse que queria aproveitar o garoto, em 2008, já que só tinha Élder Granja para a posição. Ainda bem que Granja deu conta do recado. O Palmeiras entrava com 1 a menos sempre que na escalação aparecia o nome de Amaral.


André Cunha

Acorda, André Cunha!

André Cunha

Dava pra ver os mosquitos voando em volta da cabeça dele enquanto jogava, corria, treinava, falava, dormia…  Anos de Arce demoram anos pra superar. E André Cunha nunca caiu nas graças da torcida. Sonolento, nem um pouco tático muito menos técnico, ainda durou muito no Palmeiras. Era a tal política “bom e barato”, em 2005. Também não rendeu o futebol que chamou a atenção.


Diego Souza Palmeiras 2005

De Diego Souza em Diego Souza...

Diego Souza

2005 foi mesmo um ano desgraçado para o Palmeiras. Este nome arrepia até os mais jovens palmeirenses. E nem estamos falando daquele Diego Souza que saiu quase expulso recentemente, em 2010. Este é outro. Outro meia. Outra decepção. É um daqueles casos que ninguém sabe explicar: meia esquerda, habilidoso (contestável), titular absoluto, e saiu quase expulso. Vivia nas baladas, não rendia em campo, marrento…


Gioino

Gioino, o argentino

Gioino

Como esquecer deste argentino? Chegou prometendo tudo! Chegou com fama, custou caro… É, custou caro mesmo… 2005 ia levar a Libertadores pra casa… que nada. Só iludiu os torcedores. E ainda demorou pra sair: ficou quase 2 temporadas vestindo a camisa alviverde. Não fez 10% do que havia feito no Chile para justificar sua contratação.


Jardel Palmeiras

Jardel, a ida dos que nunca vieram

Jardel

Na verdade, não sei se ele entra na conta. Porque ele era jogador. Ele foi contratado (mesmo que por empréstimo) pelo Palmeiras. Mas nunca jogou pelo Palmeiras. E se você ainda tem dúvidas: sim, é AQUELE Jardel. Mário Jardel Almeida Ribeiro foi emprestado pelo Corinthians em 2004. E foi só. Pelo menos, dos males o menor: o único prejuízo foi aos cofres.


Ricardo Boiadeiro

Ricardo Boiadeiro poderia ter ficado só 8 segundos

Ricardo Boiadeiro

Talvez você não se lembre. Mas ele é assunto obrigatório em qualquer roda sobre o passado recente do Palmeiras. Ricardo Resende da Silva marcou 1 gol pelo Palmeiras em toda a temporada de 2001. Ok, é bem mais do que o Dill fez pelo SP (0 gols em 9 meses), mas não era necessário. Na época chegou a participar do programa Mesa Redonda e ficou o tempo todo de chapéu. Sua função mais importante é ser símbolo da política de “bom e barato” do também odiado Mustafá Contursi. Barato tudo bem, mas bom…


Rivarola

Rivarola golden gol

Rivarola

Catalino Rivarola Mendez. Lembra dele? Não? Mas com certeza você lembra que ele fez um golaço no Palmeiras! Tudo bem que foi contra, mas ele fez! E ainda foi campeão da Libertadores em 99… Passou a maior parte do tempo em que esteve no Palmeiras na reserva. Isso porque foi contratado a pedido do próprio Felipão, que também foi seu técnico no Grêmio, onde também conquistaram a Libertadores. E ele ainda foi da seleção paraguaia! Como pode?


washington palmeiras

Washington caixa d'água

Washington

Se você, torcedor do São Paulo, acha que o seu Washington é ruim, você precisa conhecer o do Palmeiras. Jogou toda a temporada de 2006 – leia-se Libertadores e Brasileirão – e, acredite, foi o artilheiro da competição sulamericana. Isso tudo sendo reserva e indo embora rápido.

6 responses to “Palmeiras

  1. Alemão despertava ódio? O maluco fez só 2 (DUAS) partidas com a camisa do Palmeiras e marcou um gol e se machucou na goleada de 3×0 sobre os gambás em 2007, antes de morrer. Tinhamos esperança que ele fosse deslanchar, mas veio a fatalidade. Legal querer ser ironico, mas sem FALÁCIAS.

  2. esse burro q colocou essa materia sobre o alexandre, nao sabe nada da sobre o palmeiras, nos 2 jogos contra o boca o alexandre foi uns dos melhores em campo,ele foi expulso de campo no segundo tempo do segundo jogo e mesmo assim foi comprado pelo palmeiras,pois ele era emprestado pelo clube portugues. rsss

  3. Sobre o Ricardo Boiadeiro, falou besteira posto que ele jamais jogou um jogo oficial pelo Palmeiras, tendo entrando em campo apenas uma vez, já no 2º tempo de um jogo treino em Águas de Lindóia (pré temporada), e ainda assim guardou o dele (de cabeça). O Luxemburgo foi contratado na sequência e chegou avisando que ele não jogaria no “seu time”, o que cumpriu, jamais relacionando-o, o que culminou na sua saída precoce após 3 meses de contrato, sem sequer ser testado. PS* saibam e pesquisem, que em 2001, Ricardo Boiadeiro jogando pelo Olaria foi o 3º artilheiro do estadual do RJ, ficando atrás apenas do Edilson e Romário…

  4. Pingback: Rapidinhas do FM – 3ª rodada | FUTEBOL E MEMÓRIA·

  5. Faltou incluir nesta lista…..TONI GATTO, DITINHO SOUZA, SUCCAR, DARINTA E O FAMOSO BIZÚ…..

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s